Comunicando-se com outros

As redes de telecomunicação e a internet tornaram a comunicação entre as pessoas mais fácil do que nunca, mas também permitiram que a vigilância se tornasse mais predominante do que jamais se viu na história da humanidade. Cada telefonema, mensagem de texto, e-mail, mensagem instantânea, ligação de voz sobre IP (VoIP), vídeo chat e mensagem de redes sociais podem ser vulneráveis a intrusos, caso não se tome medidas adicionais para proteger sua privacidade.



Na maioria das vezes, a maneira mais segura de se comunicar com outras pessoas é pessoalmente, sem a presença de computadores ou telefones. Uma vez que isso nem sempre é possível, o melhor a ser feito é utilizar a criptografia ponto a ponto, caso precise proteger o conteúdo de suas comunicações quando se comunicar por meio de uma rede.

Como funciona a criptografia ponto a ponto? Anchor link

Quando duas pessoas querem se comunicar de modo seguro (por exemplo, a Akiko e o Boris), elas precisam gerar individualmente chaves de criptografia. Antes da Akiko enviar uma mensagem para o Boris, ela criptografa a chave dele para que somente o Boris possa decifrá-la. Então ela envia a mensagem já criptografada pela internet. Se alguém estiver espionando a Akiko e o Boris, mesmo que tenha acesso ao serviço que ela está utilizando para enviar essa mensagem (como a sua conta de e-mail), esta pessoa apenas verá os dados criptografados, mas não conseguirá ler a mensagem. Quando o Boris recebê-la, deve utilizar sua chave para descriptografá-la, tornando-a legível.



A criptografia ponto a ponto requer algum sacrifício, mas é a única maneira dos usuários verificarem a segurança das suas comunicações, sem ter de confiar na plataforma que estão utilizando. Alguns serviços, como o Skype, afirmam que oferecem a criptografia ponto a ponto, mas, ao que parece, não a fazem. Para que a criptografia ponto a ponto seja segura, os usuários devem verificar se a chave que está criptografando as mensagens pertence à pessoa que eles acreditam que a criaram. Se o software de comunicação não tem essa capacidade integrada, então qualquer mensagem criptografada poderia, por exemplo, ser interceptada pelo próprio provedor de serviços, caso algum governo o obrigue a isso.

Você pode ler o informativo Encryption Works (Funcionamento da Criptografia), da Freedom of the Press Foundation (Fundação para a Liberdade de Imprensa), para obter instruções detalhadas sobre como utilizar a criptografia ponto a ponto para proteger suas mensagens instantâneas e e-mails. Confira também os seguintes módulos da SSD:

Chamadas de voz Anchor link

Quando você faz uma ligação por telefone fixo ou celular, sua chamada não é criptografada ponto a ponto. Se estiver utilizando um aparelho móvel, a ligação pode ser (tenuemente) criptografada entre o seu celular e as torres de telefonia. No entanto, como sua conversa viaja pela rede de transmissão, ela é vulnerável à interceptação pela sua companhia telefônica e extensivamente por todos os governos ou organizações que têm poder sobre a sua empresa de telefonia. A maneira mais fácil de garantir que você tenha a criptografia ponto a ponto nas conversas de voz é utilizar o VoIP.

Cuidado! A maioria dos provedores de VoIP, como o Skype e o Google Hangouts, oferecem criptografia em trânsito, de modo que os espiões não podem ouvi-las, porém seus próprios provedores ainda têm potencial de escutá-las. Isso pode ou não ser um problema, dependendo do seu modelo de ameaça.

Dentre alguns serviços que oferecem a criptografia ponto a ponto nas chamadas por VoIP, incluem-se:

Para ter conversas de VoIP criptografadas ponto a ponto, ambos devem utilizar o mesmo software (ou compatível).

Mensagens de texto Anchor link

As mensagens de texto padrões (SMS) não dispõem de criptografia ponto a ponto. Se você quer enviar mensagens criptografadas pelo seu telefone, considere utilizar um software de mensagens instantâneas criptografadas em vez de mensagens de texto SMS.

Alguns serviços de mensagens instantâneas criptografadas ponto a ponto utilizam seu próprio protocolo. Então, por exemplo, os usuários do Signal, no Android e no iOS, podem conversar de modo seguro com outras pessoas que utilizam esses programas. O ChatSecure é um aplicativo móvel que criptografa conversas com o OTR em qualquer rede que usa o XMPP, significando que você pode escolher dentre os serviços, independentes de mensagens instantâneas.

Mensagens instantâneas Anchor link

O Off-the-Record (OTR) (Fora da Banda) é um protocolo de criptografia ponto a ponto para mensagens de texto em tempo real, o qual pode ser utilizado no topo de uma série de serviços.

Dentre algumas ferramentas que incorporam o OTR nas mensagens instantâneas, incluem-se:

Email Anchor link

A maioria dos provedores de e-mail proporciona uma maneira de você acessá-los utilizando um navegador da Web, como o Firefox ou o Chrome. A maioria desses provedores suporta o protocolo HTTPS ou a criptografia de camada de transporte (do inglês transport-layer encryption). Você pode verificar se o seu provedor de e-mail suporta o protocolo HTTPS, acessando o seu webmail e conferindo se a URL no topo do seu navegador começa com as letras HTTPS em vez de HTTP (por exemplo: https://mail.google.com).

Caso o seu provedor de e-mail suporte o HTTPS, mas não o faz por padrão, tente substituir o HTTP pelo HTTPS na URL e atualizar a página. Caso queira ter a certeza de sempre estar utilizando o protocolo HTTPS nos sites onde estiver disponível, faça o download do complemento do navegador HTTPS Everywhere, no Firefox ou no Chrome.

Dentre alguns provedores de webmail que utilizam o protocolo HTTPS por padrão, incluem-se:

  • Gmail
  • Riseup
  • Yahoo

Alguns provedores de webmail dão a opção de escolher utilizar o HTTPS por padrão, selecionando-o em suas configurações. O serviço mais popular, que ainda faz isso, é o Hotmail.



O que faz a criptografia de camada de transporte (do inglês transport-layer encryption) e por que você precisa dela? O HTTPS, também referido como SSL ou TLS, criptografa suas comunicações de modo que elas não possam ser lidas por outras pessoas na sua rede. Isso pode incluir as que estão utilizando a mesma rede Wi-Fi em um aeroporto ou em uma cafeteria, no seu escritório ou na escola, os administradores de seu ISP, hackers maliciosos, agentes da lei ou do governo. As comunicações enviadas pelo seu navegador da Web, incluindo as páginas que você visita e o conteúdo de seus e-mails, postagens e mensagens, utilizando o protocolo HTTP em vez do HTTPS são de pouca importância para um oponente interceptá-las e lê-las.

O HTTPS é o nível mais básico de criptografia para sua navegação na Web e é recomendado a todos. Ele é tão básico quanto colocar o cinto de segurança ao dirigir.



Mas há algumas coisas que o HTTPS não faz. Quando você envia um e-mail utilizando o HTTPS, o seu provedor de e-mail ainda recebe uma cópia não criptografada da sua comunicação. Os governos e os agentes de aplicação da lei podem obter um mandato para acessar esses dados. Nos Estados Unidos, a maioria dos provedores de e-mail têm uma política que informa quando essas empresas receberem uma solicitação do governo, para que cedam os dados do usuário, desde que estejam legalmente autorizados a fazê-lo. Essas políticas, porém, são estritamente voluntárias e, em muitos casos, os provedores estão legalmente impedidos de informar essas solicitações de dados aos seus usuários. Alguns provedores de e-mail, como o Google, Yahoo e Microsoft, publicam relatórios de transparência, detalhando o número de solicitações que recebem do governo sobre os dados dos usuários, quais países fazem esses pedidos e quantas vezes a empresa cedeu essas informações.



Se o seu modelo de ameaça inclui um governo ou agentes de aplicação da lei, ou se você tem alguma outra razão para assegurar que seu provedor de e-mail não possa ceder o conteúdo de suas comunicações por e-mail a um terceiro, considere utilizar a criptografia ponto a ponto nas suas comunicações por e-mail.

A PGP (do inglês Pretty Good Privacy, que significa uma Privacidade Muito Boa) é um padrão para a criptografia ponto a ponto do seu e-mail. Utilizada corretamente, ela oferece proteções muito fortes às suas comunicações. Para instruções detalhadas de como instalar e utilizar a criptografia PGP para o seu e-mail, consulte os guias de:

O que a criptografia ponto a ponto não faz? Anchor link

A criptografia ponto a ponto protege apenas o conteúdo das suas comunicações e não o fato da comunicação em si. Ela não protege os seus metadados - que é todo o restante, incluindo a linha de assunto do seu e-mail ou com quem e quando você está se comunicando.



Os metadados podem fornecer informações extremamente reveladoras sobre você, mesmo quando o conteúdo de sua comunicação permanece secreto.



Os metadados das suas chamadas telefônicas podem fornecer algumas informações muito íntimas e confidenciais. Por exemplo:

  • Eles sabem que você ligou para um serviço de sexo por telefone às 2h24 e falou durante 18 minutos. Eles só não sabem o foi dito por você.
  • Eles sabem que você telefonou da Ponte Golden Gate para o número de atendimento à prevenção de suicídio, mas o tema da chamada permanece em segredo.
  • Eles sabem que você falou com um serviço de testes de HIV, em seguida falou com o seu médico e depois, na mesma hora, falou com a sua seguradora de saúde; porém, eles não sabem o que foi conversado.
  • Eles sabem que você recebeu uma chamada do escritório local da NRA (em inglês National Rifle Association, que é a Associação Nacional de Rifles) enquanto estava tendo uma campanha contra a legislação de armas e, a seguir, ligou imediatamente para os seus senadores e representantes do Congresso, mas o conteúdo dessas chamadas continua sendo protegido contra a intromissão do governo.
  • Eles sabem que você telefonou para um ginecologista, falou durante meia hora e mais tarde, naquele mesmo dia, ligou para o escritório local da ONG de planejamento familiar Planned Parenthood, mas ninguém sabe sobre o que você conversou.

Se você estiver ligando de um telefone celular, as informações da sua localização são metadados. Em 2009, o político Malte Spitz, do Partido Verde, processou a Deutsche Telekom para forçá-los a entregar seis meses de dados do telefone de Spitz, os quais ele disponibilizou para um jornal alemão. A visualização resultante mostrou um histórico detalhado dos movimentos dele.

Proteger seus metadados requer que utilize outras ferramentas, como o Tor, ao mesmo tempo que usa a criptografia ponto a ponto.



Para se ter um exemplo de como o Tor e o HTTPS trabalham em conjunto para proteger o conteúdo de suas comunicações e de seus metadados de uma variedade de potenciais invasores, leia esta explicação.

Last reviewed: 
2017-01-12
A versão em Inglês pode estar mais atualizada.
JavaScript license information